Impressora 3D e a fabricação pessoal: Personalização de objetos e redução de resíduos

globelight_preview_featured

Escrito por Thiago Lima

Uma nova revolução está em curso nesse momento. É a revolução da fabricação pessoal, impulsionada principalmente pela popularização das impressoras 3D e acervo incrível de informações disponível na internet. O ato de fazer coisas se tornou algo popular – pessoas comuns, sem nenhum ou pouco conhecimento técnico podem criar ou reproduzir objetos. Elas conseguem agora transformar arquivos digitais em peças materiais, pesquisar por diferentes peças na internet, mudar seu design utilizando ferramentas grátis na internet e compartilhar suas ideias com todo o mundo. A grande transformação não é relativa à forma em que as coisas são criadas, é quem está começando a fabricar as coisas… e não são as grandes indústrias como estamos acostumados a conhecer, mas pessoas com seus computadores ligados a internet e suas impressoras 3D. As impressoras aos poucos chegam às casas de várias pessoas pelo mundo, e também a empresas nos diferentes ramos de atuação e universidades.

Apesar dessa tecnologia ainda não ter se popularizado como as impressoras convencionais que temos em casa, e elas não serem tão rapidas como gostaríamos, alguns benefícios de seu uso já estão ficando bem claros. Logo de cara, a impressora 3D elimina grande parte do desperdício de determinados materiais utilizado para se produzir um produto industrializado, uma vez que se pode fazer produtos sob demanda. A força do mercado competitivo tende a não deixar essa formação de estoque ou de produto excedentes acontecer, apenas uma pequena quantidade seria fabricada. No entanto, mesmo em um mercado com essas caracteristicas equilibradas, a impressora 3D oferece a possibilidade de impressão apenas sob demanda. E quando algo é personalizado ou feito por nós mesmos, nós cuidamos mais dele, o valorizamos e ele dura mais, não é mesmo? Claro que, como aparece na TV pessoas que fabricam diversos bonequinhos e pecinhas que não parecem ter alguma utilidade, por muitas vezes podemos pensar, e porque não, ter até argumentos fortes no sentido de que essas maquinas só aumentam o problema do lixo. Mas, depois do deslumbre dos primeiros dias com uma impressora dessas, o uso racional pode ser bem interessante.

As impressoras 3D disponibilizadas no Brasil atualmente estimulam a produção monomaterial, o que facilita de fato da reciclagem e, portanto, reutilização dos materiais. Produtos complexos e compostos de materiais não poderiam ser substituídos por peças impressas em 3D com as tecnologias que temos atualmente no mercado brasileiro. A expectativa é que se tenha disponíveis em breve impressoras que possibilitem a impressão em diversos materiais, mas isso ainda vai demorar um pouco.

Acredita-se que em um futuro bem próximo existirá para compra produtos que poderão ser adquiridos por completo ou apenas uma parte desse produto, bastará escolher na hora de sua compra a melhor opção pra você. Para a parte do produto que não virá no pacote do produto comprado, caso seja solicitado o produto incompleto, você poderá fazer o download da peça, e porque não também personalizá-la, e imprimir em sua casa ou em um local perto de você em uma impressora 3D. Poderá, inclusive, escolher as cores que achar mais legal, ou com palavras e desenhos significativos pra você.

E você já reparou quanta embalagem é utilizada para embalar um produto quando o compramos pela internet? Imagine então que esse volume enorme de embalagem possa ser reduzido se esse produto, ao invés de ser produzido, for impresso em uma 3D. No entanto, claro, a importância das embalagens racionalizadas de acordo com a necessidade do transporte do produto, impedem que os produtos quebrem ou que danifiquem durante seu transporte. Evitam, então, que algo tenha que ser fabricado novamente e, por último, mas não menos importante, permitem reaproveitamento do material empregado na embalagem  quando empregam materiais recicláveis ou reutilizáveis.

Tecnicamente dizendo, o uso da impressora 3D diminui a pegada de carbono (fonte: [4]). As emissões de carbono vão reduzir dramaticamente se diversas empresas começarem a utilizar desse recurso de impressão porque diferentes pecas não precisarão ser mais transportados pelos mares por vários dias, dos países produtores até os distantes países consumidores. Isso tudo mesmo considerando que o transporte marítimo é extremamente eficiente se considerarmos a quantidade de peso transportada por distância em quilômetros percorrida. A impressora 3D busca reduzir assim a poluição – reduz o desperdício de produção e minimiza a energia gasta para se produzir, armazenar e transportar determinada peça ou produto.

A utilização da impressão 3D nos inspira a inovar para o bem, nos faz começar a enxergar diferente a cadeia de produção de bens materiais e dá asas a nossa imaginação.

Esse Texto de Thiago Lima de Thiago Lima está licenciado com uma Licença Creative Commons 4.0 Internacional. É permitida a reprodução total ou parcial para qualquer fim desse texto e o nome do autor e link do site deve ser citada de maneira clara.

Boa parte desse texto foi retirada do texto do blog do Fazedores com titulo Impressoras 3D e Sustentabilidade, de minha autoria. Convido a todos a conhecer o blog. Ficarão encantados com a revolução dos Makers.

http://blog.fazedores.com/impressoras-3d-e-sustentabilidade/

Obrigado às sugestões enviadas por Rafael Turella e Ricardo Dias, estudantes no programa de mestrado de Sistemas Sustentáveis no Rochester Institute of Technology, onde estudo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s