Arquivo da categoria: Educação Ambiental

A importância da gestão adequada de resíduos domésticos diante da crise do Coronavírus por Ana Carolina Abdulmassih*

Se em condições normais já é preciso o cuidado com os resíduos domésticos, em tempos de pandemia, essa responsabilidade aumenta consideravelmente.

Primeiramente, é importante que haja consciência sobre a necessidade do consumo, para que, dessa forma, menos resíduos sejam gerados.
Também é oportuno dizer que a manutenção da limpeza é indispensável em qualquer ocasião, seja na rua, no trabalho ou em casa.  Lavar as mãos e as superfícies, bem como utilizar álcool em gel, são ações que contribuem sobremaneira para o cuidado com a saúde.

No que diz respeito ao descarte, é preciso que seja realizada a separação correta na fonte geradora, e que sejam adotadas medidas de segurança para diminuir o risco de contaminação por parte dos catadores.

Ao separar os resíduos, caso você esteja contaminado ou com suspeita, é importante colocar materiais que possam estar contaminados junto com os resíduos comuns, ou seja, aqueles que ainda serão enviados ao aterro sanitário, e isolá-los da melhor maneira possível, inclusive, colocá-los em um segundo saco, caso necessário.

Importante lembrar que máscaras e luvas descartáveis não são materiais recicláveis.

A integridade do meio ambiente contribui para o controle de doenças, e dificulta a disseminação, a ampliação e a dominação de agentes causadores de enfermidades.
Além disso, é imprescindível que a população se estimule, se fortaleça e se conscientize sobre a problemática sanitária e ambiental, que, ademais, causa impactos sociais e econômicos, e, inquestionavelmente, desestrutura todo o ecossistema.

Logo, a consolidação da cidadania e a solidariedade devem ser encarados como princípios basilares para o futuro da humanidade.

Leia também no Pontal em Foco: https://pontalemfoco.com.br/cotidiano/a-importancia-da-gestao-adequada-de-residuos-domesticos-diante-da-crise-do-coronavirus/

* Ana Carolina Carvalho Abdulmassih – Graduada em Direito, pela Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG – Unidade Ituiutaba, cursa Tecnologia em Gestão Ambiental e Pós-graduação em Direito Ambiental e Sustentabilidade. Membra fundadora da Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero e professora de Direito Ambiental, por meio do Programa Direito na Escola, ligado à Comissão OAB Vai à Escola, da 44ª subseção da OAB.

DIA INTERNACIONAL DA RECICLAGEM POR IRU BARBOSA

Dia de reflexão sobre questões ambientais, sociais e econômicas, além do seu próprio comportamento, que diz muito sobre você.

O dia 17 de maio deve ser um dia de reflexões sobre as questões ambientais, econômicas e sociais. Esta data foi constituída pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para celebrar a RECICLAGEM  que significa “ato ou efeito de se recuperar parte útil dos dejetos e de reintroduzi-la no ciclo de produção de que eles provêm”.

Mas o que devemos refletir sobre isso? Reciclar não é apenas separar nossos lixos?

O lixo, segundo a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) é definido como restos das atividades humanas que são considerados por seus geradores como inúteis, indesejados ou descartáveis, podem se apresentar de acordo com o estado físico em que se encontram: sólido, líquido e que não sejam passíveis de tratamento.

O certo é chamá-los de resíduos, que conforme sua definição, são decorrentes de atividades humanas, sejam elas industriais, domésticas, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços ou varrição que podem ser reciclados ou reutilizados. Para isso é necessário ser separado por tipos que permita sua destinação para outros fins. Os resíduos são diversos e complexos e segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) são classificados quanto a sua origem e periculosidade.

Para maior conhecimento sobre cada tipo de resíduos, basta consultar o site https://sinir.gov.br/.

reciclagem_plastico_copercicla

O VALOR RELATIVO DAS COISAS

Então tudo aquilo que não tem mais valor para mim, devo considerar como lixo? Não, nem tudo aquilo que não tem mais valor para você, significa que para os outros também não tenha. E esta é a PRIMEIRA REFLEXÃO a se fazer neste dia.

Os valores das coisas são agregados segundo nossas perspectivas, visões e compreensões de mundo. Enxergar valor naquilo que os outros não mais vislumbram é abrir novas possibilidades de existências de diferentes estilos de vidas possíveis e não manter apenas o velho e esgotável sistema linear das coisas. 

Um material, objeto que não apresenta mais utilidade para você pode vir a ser reutilizado por outra pessoa, pode se tornar matéria prima “secundária” de um novo produto em um novo processo ou até mesmo ser reinserida no mesmo processo de criação da qual ela já foi um dia, e assim se reexistir, na constante busca de novas formas de existências das coisas, das pessoas e do mundo. 

Todo esse processo cuidadoso gera novos tipos produção econômica na qual se preza cada vez menos da necessidade da exploração dos recursos naturais. Esse processo chama-se RECICLAGEM.

reciclagem_papel_copercicla

SEU  IMPACTO NEGATIVO OU POSITIVO, VOCÊ ESCOLHE.

Você deve estar se perguntando “Qual a importância que isto tem para mim? Se estamos falando de materiais, objetos, lixos, resíduos e reciclagem?!”

Bom, com isso podemos entrar em uma SEGUNDA REFLEXÃO bastante conhecida. A que somos semelhantes a simples e inofensivas formigas em relação ao nosso Planeta. De tão pequenos e frágeis chegamos a pensar que não causamos mudanças nele. No entanto nossas atividades e ações são tão fortes quanto as formigas, que conseguem carregar 10 vezes ou mais do que o próprio peso. Nós podemos causar mudanças 10 vezes e mais a partir de simples e pequenas ações, tanto negativas quanto positivas.  Pense você: só nos últimos 50 anos, a humanidade degradou o Planeta Terra mais do que toda nossa história passada.

Segundo as pesquisas realizadas pelo Banco Mundial serão necessários quase “três Planetas Terra” para proporcionar os recursos naturais necessários para manter o atual modelo de produção consumista, caso a população mundial chegue a 9,6 bilhões de habitantes, como é a previsão para 2050.

Preocupado?

Vamos pensar melhor. Se é necessário três Planetas para proporcionar os recursos naturais para manter o estilo atual de vida para 9,6 bilhões de pessoas e hoje temos por volta de 7,7 bilhões de habitantes no Planeta Terra, então atualmente consumimos ao equivalente de recursos naturais de quase dois Planetas e meio. O que nos mostra que já estamos esgotados. Sim, isto é muito preocupante!

Limpar, separar e destinar corretamente seus resíduos para ser reinserido na cadeia produtiva é de fundamental RESPONSABILIDADE DE CADA UM para a permanência de nossa existência no Planeta Terra!   

Para finalizar esta reflexão sobre o Planeta Terra e de sua grande importância, trago a perspectiva de compreendê-lo como um ecossistema singular no Universo, pois é o único, até onde se sabe, que existe vida em abundância, permitindo assim a existência da vida do Ser Animal Humano, pois fornece o ar que respiramos, a água que bebemos e o alimento que nos nutre em companhia de milhares de espécies de outros animais e plantas em harmonia.

Desta forma devemos considerar o Planeta Terra como um Grandioso Organismos Vivo em que a humanidade nele interage. A Terra não depende da humanidade para a sua manutenção, mas sim a humanidade depende da Terra para a sua. Portanto temos o dever de respeitá-la sob a perspectiva de “um sistema em sua integridade”, como nos ensina a Teoria de Gaia de James Lovelock.

reciclagem_vidro_copercicla

ESTILO DE VIDA E DE CONSUMO. VOCÊ PRECISA MESMO DE TUDO ISTO?

Outro ponto para atentarmos é: Se a humanidade consome tantos recursos do Planeta Terra, por que existe tanta desigualdade social?

Trago esta questão para discorrer sobre a TERCEIRA E ÚLTIMA REFLEXÃO. O modelo hegemônico mundial de desenvolvimento econômico, ou melhor, crescimento econômico, produz e se alimenta da desigualdade social. Segundo os dados do pesquisador Carlos Machado, coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), diz que 20% da população mundial consome o total de 80% da produção de bens. Enquanto os outros 80% da população tem acesso, apenas a 20% do restante que é produzido.

Com os dados apresentados acima, me questiono quantos Planetas Terra são necessários para manter o estilo de vida de consumo destes 20% da população nos próximos anos?

Para solucionar esta questão basta fazer uma simples proporção entre os dados apresentados e chegamos em uma estimativa de 2 Planetas Terra.

Portanto se todas as pessoas do mundo tivessem acesso aos mesmos estilos de consumo, os quais dizem ser os ideais, o Planeta Terra apesar de toda a sua abundância, não suportaria tamanha devastação para produção, consumo e descarte. Desta forma, é necessário brutalmente a manutenção da desigualdade social e exploração dos recursos para manter o estado quo destes 20% da população mundial. (Gostaria de ressaltar que estes dados são de 2016, nos dias atuais estima-se que a desigualdade esteja maior)

Com estas questões descobre-se que a problemática central não está apenas voltada para quantidade de habitantes, mas principalmente pela forma de produção desenfreada e de distribuição desigual dos bens e recursos naturais.

reciclagem_metal_copercicla

A RECICLAGEM NA REAL

Enfim, gostaria de ressaltar estas três reflexões, apesar delas trazerem relações entre si, tentei separar em três discussões distintas, a primeira envolvendo questões econômicas, a segunda ambientais e a terceira sociais.

Estas são as três bases do Desenvolvimento Sustentável e o interessante é pensar como o processo de reciclagem interfere nestas 3 bases.

Primeiro, gera economia em um setor que até então não é considerado lucrativo ou de valor, neste sistema econômico em que vivemos.

Segundo, diminui significativamente a exploração dos recursos naturais do Planeta Terra, preservando-o, pois, a partir do momento de reinserção dos resíduos na cadeia de produção não será mais necessário retirar estes recursos da natureza.  

E terceiro, fomentaria novas formas de produção e geração de bens mais duráveis e cada vez mais recicláveis. Outras formas de rendas e economias surgiriam, inserindo mais pessoas no processo produtivo e consequentemente distribuindo de forma mais igualitária os bens produzidos e reproduzidos pelos mesmos.

Pelas reflexões levantadas demostramos a relevância de celebrar e praticar conscientemente este dia 17 de maio , o Dia Internacional da Reciclagem.

Em Ituiutaba você pode entrar em contato com a Copercicla para saber os dias e horários que ela atende o seu bairro. Pode contar ainda com inúmeros catadores informais que complementam sua renda com esse material. Vale ressaltar a importância de criar um vínculo e trazer o resíduo sempre separado e limpo. 

Copercicla:  (34) 3261-3606http://www.copercicla.com/index.php

coperativa
COPERCICLA- ITUIUTABA               Foto: Marcus Thompson

 

Iru Iakowsky Barbosa – Companheiro ~ Pai ~ Geógrafo ~ Artista das Ruas ~ Na eterna busca por renovações dos resíduos…

REFERÊNCIAS:

https://sinir.gov.br/

https://jus.com.br/artigos/45582/as-influencias-do-ser-humano-no-meio-ambiente-e-seus-reflexos-no-ambito-juridico

http://dssbr.org/site/entrevistas/novos-padroes-de-vida-e-consumo-para-o-planeta-e-a-saude/

https://www.vgresiduos.com.br/blog/diferenca-entre-lixo-residuo-rejeito/

https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/rio20/temas-em-discussao-na-rio20/onu-estabelece-tres-pilares-para-o-desenvolvimento-sustentavel-dos-paises-economico-social-e-ambiental.aspx

SEMANA INTERNACIONAL DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A COMPOSTAGEM  03 a 09 DE MAI O – POR IRU BARBOSA

COMPOSTAGEM É VIDA

composteira-campo2
Composteira direto na terra

“As nossas vidas são cíclicas”. Quem nunca falou ou ouviu falar esta frase?  

Somos regidos por um calendário cíclico. O nosso tempo é cíclico. O planeta Terra gira em ciclos em torno do Sol. Existe o ciclo da água, ciclo de krebs, ciclo das rochas, ciclo da Lua, dentre tantos outros. As estações do ano são cíclicas, repetem-se constantemente. De fato, nossas vidas são cíclicas, nascemos, crescemos e morremos. Até mesmo uma das maiores invenções da Humanidade, se não a maior, é a roda que representa um movimento cíclico.  

Então o que significa ciclo? O que é ser cíclico?

A palavra ciclo refere-se a uma série de fenômenos cíclicos, fatos ou ações de caráter periódico que partem de um ponto inicial e terminam com a recorrência deste.

Todos estes citados acima são exemplos de fenômenos cíclicos.Ressalta-se que ciclos representam os recomeços e as renovações. 

E o que isso tem a ver com nossas vidas ou com o nosso planeta ou com esta semana?

Bom, começamos com o Planeta. Quando dizemos que os recursos existente na Terra vão acabar e que no futuro, se continuarmos com esse modelo linear – extrai – produz – consome – descarta, não teremos mais nada, é verdade. No entanto, essa forma de ver a vida no Planeta é cruel e drástica e não é, necessariamente, o único jeito de aceitar e ver as coisas.

Na verdade quando falamos isso, esquecemos da frase que todo mundo já ouviu “As nossas vidas são cíclicas”. Esquecemos o que significa ciclo. Ciclo é a forma de Ser e de se renovar do Planeta Terra. Todas as coisas aqui nascem, passam por um conjunto de transformações e morrem para depois novas nascerem e assim por adiante. Então, não precisamos acabar com nada, apenas mudar a forma que vemos as coisas, para passar a ver como realmente elas são. 

 

VIDA CÍCLICA

Com as nossas vidas, não preciso mais comentar como são cíclicas, mas preciso enfatizar que pertencemos ativamente nesses conjuntos de transformações. E nós nos percebemos dentro de um ciclo, e que precisamos agir de forma igual para que as coisas sempre se recomecem e renovem. É necessário agirmos de acordo com esta lógica, até mesmo para que as coisas se tornem mais fáceis. Tomemos a roda por exemplo, ela veio para facilitar a locomoção, agilizando nosso transporte pelo espaço. Então por que dificultar? 

 

SEMANA DA COMPOSTAGEM E AS COMPOSTEIRAS

Para celebrar o ciclo natural das coisas, trazemos aqui e queremos celebrar com você a Semana Internacional da Conscientização sobre a Compostagem, que acontece de 03 a 09 de maio.

E o que eu quis dizer com isso tudo? Que a roda não foi a única coisa que o ser humano inventou para facilitar nossas vidas em forma de ciclo. 

Nós também inventamos a composteira!

composteira-campo1
Separação dos resíduos orgânicos
compostagem-minhocário
Composteiras para casas e apartamentos

 

Existem composteiras de diversas formas, maneiras, jeitos e melhor ainda, para todos os lugares, das fazendas até os grandes centros urbanos para aqueles que vivem em apartamentos e quase não tem contato com a terra e plantas. A compostagem muda as nossas vidas. Transforma-as, renova-as. As encaixam neste grande e belo ciclo das diversas vidas do planeta. 

A compostagem é a “reciclagem dos resíduos orgânicos” ou seja, restos de comida, folhas secas, galhos. A compostagem permite a transformação de restos orgânicos do nosso dia a dia em adubo/composto. 

 

COMPOSTE E MUDE A SUA VIDA

Você pode compostar os resíduos orgânicos de forma simples e barata, em casa,  da forma que for melhor para você, seja no balde, seja diretamente no chão. 

Separamos três vídeos e um passo a passo para vc escolher o método de compostagem que quer usar:

 

 

 

Slide1Slide2Slide3Slide4Slide5Slide6Slide7Slide8Slide9Slide10

Certamente você usará o seu composto em vasos, horta, ou até mesmo direto na terra. Ele levará nutrientes  e fará tudo florir, crescer e se transformar. 

O composto é o milagre do “lixo” transformado em nutrientes, algo renovável, algo transformador.

Facilite, contribua e viva essa experiência de favorecer o ciclo do Planeta e da sua vida. Composte e conte conosco!

 

Confira abaixo alguns links sobre compostagem:

 

Iru Iakowsky Barbosa – Companheiro ~ Pai ~ Geógrafo ~ Artista das Ruas ~ Na eterna busca por renovações dos resíduos…

Ituiutaba sediou Fórum Lixo Zero

21441212_837528946402656_154672646_o

A proposta do Fórum Municipal Lixo Zero Ituiutaba de ser um evento pró-ativo, com o objetivo de empoderar e dar visibilidade às melhores práticas locais em direção ao lixo zero e propor uma REVOLUÇÃO baseada no EXEMPLO foi atingido.

O Fórum teve como abertura o CORAL da Unimed e apresentou ações simples e eficientes que a própria população vem realizando. O ambiente foi preparado para que, de maneira aconchegante, os painelistas relatassem porque se sentiram motivados a dar um passo rumo ao desenvolvimento sustentável.

A decoração foi feita com os vasos e poltronas confortáveis feitas a base de pneus, confeccionadas e gentilmente cedidas pelo Lucio Borracharia e Arte, todas a venda na avenida 14 com 11.

Os painelistas expuseram de maneira clara o que vem fazendo para que o desenvolvimento sustentável seja de fato uma realidade: economia de recursos e de dinheiro, além da geração de riquezas, seja através de produtos, seja através de renda.

21392657_837528956402655_2081572193_o (1)

21460091_837528699736014_2052622153_o21441427_837529336402617_9924603_o

21458326_837529226402628_1659887746_o

21363636_837529416402609_924332173_o

TENDÊNCIAS E CONSCIENTIZAÇÃO

Na primeira parte do Fórum, no painel Tendências Lixo Zero, foram apresentadas ações sustentáveis empregadas pelo E.E João Pinheiro, como por exemplo a captação da água da chuva para uso na limpeza das dependências. Além disso, o Ecoponto de Embalagens de Óleos Lubrificantes, como modelo de negócios pioneiro, localizado em Ituiutaba, que evita que toneladas de embalagens plásticas contaminadas sejam dispersas aleatoriamente no meio ambiente e no aterro sanitário.

O painel Conscientização trouxe um modelo de engajamento de vizinhança, cujo objetivo é tornar essa vizinhança capaz de promover a mudança cotidiana e domiciliar.  E o programa RETORNAR da Farmácia Homeogarvil, promove o retorno das embalagens de remédios e destina um valor em real a entidades sociais da cidade.

COFFEE-BREAK BIO E LIXOZERO

O Coffee-Break, organizado e produzido por Ivana Abdo Martins e voluntários, serviu aos participantes, pães e bolos integrais com ingredientes locais e totalmente integrais. Os sucos foram feitos à base de kefir e frutas e capim cidrera. Sabores especiais em meio a tanta novidade fez com que os participantes pudessem admirar os movimentos de quem se aventurou na Pirâmide, levada especialmente para o Fórum.

O coffee-break não contou com descartáveis e sim com vidros gentilmente cedidos pela Copercicla de devidamente higienizados para tal fim. Dessa forma não houve geração de resíduos tornando o evento de fato lixo zero, ou seja, com uma geração mínima de resíduos que foram corretamente encaminhados.

Durante todo o evento o público pode adquirir composto/ adubo produzido por uma das painelistas, a Regina Moura, que doou o valor arrecadado à Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero.

EDUCAÇÃO E ESCOLAS

Na segunda parte do Fórum o painel Educação e Escolas Redução apresentou soluções encantadoras em um Centro Municipal de Educação Infantil em Santa Vitória e como a garra de uma professora revolucionou a gestão de resíduos desse lugar. Esse movimento atinge diariamente por volta de 150 pessoas, garantindo o sucesso de sua ação. Já o projeto de extensão do curso de Geografia da FACIP/UFU denominado “Agroecologia em Escolas Rurais” também mostrou o poder que o conhecimento pode promover nas escolas rurais pensando o empreendedorismo socioambiental ligado ao PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar.

REDUÇÃO / REUSO / RECICLAGEM / COMPOSTAGEM

Por fim, o último painel contou com quatro participantes. Os assuntos tiveram como a base a redução, o reuso, a reciclagem e a compostagem.

Os painelistas apresentaram a captação de água da chuva e a compostagem doméstica realizada à domicílio, de maneira bem simples e fácil; a produção de vassouras a partir de material de garrafa PET realizada na cidade de Santa Vitória; a produção de sabão e detergente a partir de óleo de cozinha usado e a produção de Microorganismos Eficientes.

A interação do público com os painelistas demonstrou o interesse das pessoas por essas práticas e também que o formato do evento possibilitou essa compreensão e entendimento. A mediação realizada pela Ivana Abdo Martins foi impecável, ao passo que com comentários precisos e instigadores deu palavra a todos que quiseram participar.

O Fórum foi transmitido ao vivo no https://www.facebook.com/ItuiutabaLixoZero/.

Acesse, assista e compartilhe.

A iniciativa aconteceu graças ao Coletivo Lixo Zero, um grupo de pessoas voluntárias, unidas para a organização do evento e todos os apoiadores voluntários que contribuíram para a realização e sucesso do evento.

Nossos agradecimentos especiais ao Instituto Lixo Zero Brasil, Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, Câmara Municipal de Ituiutaba, Prefeitura Municipal de Ituiutaba, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fundação Cultural de Ituiutaba, Algar Telecom, Suporte Soluções Digitais, Gdig, Copercicla,  Turma do Aquaboy, Lucio Borracharia e Arte, Bandeirantes Papelaria, a todos os painelistas, ao Coletivo Lixo Zero: Vera Faria, Claudio Manoel da Costa, Vagner Magrini, Joel Soares, Maria Angélica Magrini, Ivana Abdo, Thiago Serafim, Regina Moura, Mara Barbosa Drummond, Odeon Nunes, Graça Tavares, Alice Drummond e aos voluntários que ajudaram na realização do evento: Geisa, Maria Rita Guimarães, David Seoud, Zuleide, Flavia Tahan, Thiago Caffaro, Cintia, além da Luzia, Elianai, Vanessa, Antônio Carlos, Lívio, Valéria, Márcia, Rose, Taissa, Luiz André, Izabella, Guilherme Brandão.

Quer integrar o Coletivo Lixo Zero?

Entre em contato: www.facebook.com/ituiutabalixozero

#Redução #Reuso #Reciclagem #Compostagem #ForumMunicipalLixoZero #Ituiutaba

 

Ituiutaba sediará Fórum Lixo Zero

ConviteFórum

 

O Fórum Municipal Lixo Zero acontecerá dia 02 de setembro, de 13h30 às 18h, na Câmara Municipal de Ituiutaba.

O evento é um desdobramento do Encontro de empreendedores socioambientais com Rodrigo Sabatini – Presidente do Instituto Lixo Zero Brasil, que aconteceu dia 29 de julho, em Ituiutaba e é aberto à população.

A proposta do Fórum Municipal Lixo Zero Ituiutaba é ser um evento, pró-ativo, com o objetivo de empoderar e dar visibilidade às melhores práticas locais em direção ao lixo zero e propor uma REVOLUÇÃO baseada no EXEMPLO.

O evento reunirá a população de Ituiutaba acerca de cinco painéis que demonstrarão a força da prática local sustentável sobre os temas: Tendências Lixo Zero, Conscientização, Educação e Escolas, Redução, Reuso, Reciclagem e Compostagem.

A iniciativa se dá por meio do Coletivo Lixo Zero, um grupo de pessoas voluntárias unidas para a organização do evento, capitaneados pela Plataforma Ituiutaba Lixo Zero.

Mais informações:

Facebook/ ItuiutabaLixoZero

 

Programação Fórum

 

Julho sem plástico. Você está pronto para o desafio?

na primeira década do séc. XXI foi produzido mais plástico do que nos últimos 100 anos, vais achar que é de loucos. A verdade é que estes números são reais. E a situação não tende a melhorar: prevê-se que até 2050 haja mais plástico no mar do que peixes.

A questão em torno do uso do plástico não é uma moda e é preciso explicar isto sobretudo à nossa geração: somos novos, temos energia, temos ideias, queremos fazer do mundo um lugar melhor; temos nas mãos uma oportunidade de mudar o rumo desta situação, e é importante que o façamos.

Você já reparou na quantidade de plástico que você usa durante um dia?

As garrafas de água que usa são, provavelmente, de plástico. A escova de dentes que usa é feita de plástico. Os sacos do lixo que tem em casa são de plástico. A maior parte da comida que você compra vem embalada adivinha em quê? Plástico. De cada vez que você vai às compras leva ou compra um saco de? Plástico. Agora pensa que mais de metade das pessoas que compartilham deste planeta fazem o mesmo, todos os dias.

Para agravar um bocadinho a situação, imagina agora a quantidade de plástico usada primeiro na sua casa, depois por todos os habitantes do seu bairro, depois por todos os que vivem na sua cidade. E agora pensa que todo esse plástico demora 2 gerações a decompor-se.

Atitude é tudo, e tudo é possível.

PlasticfreejulyaProblemaeSolucao

O JULHO SEM PLÁSTICO é um movimento criado por uma organização governamental australiana para alertar o consumo muitas vezes não consciente e desafiar-nos a reduzir o consumo de plástico durante o mês de Julho. 

O objetivo é que, passado um mês, você consiga trazer alguns hábitos desse mês sem plástico para a sua vida cotidiana. O top 4 da mudança é a redução das sacolinhas plásticas de supermercado, garrafas de água e refrigerante, canudos e copos descartáveis de plástico. A redução desses 4 materiais já te coloca num ótimo patamar de realização.

Continue seu desafio com os itens a seguir:

  1. Compre caixas, não garrafas: sabe quando vamos ao supermercado e encontramos, por exemplo sabão em pó em caixas de papelão e também em garrafas de plástico? Prefira produtos em caixas, pois a reciclagem é mais simples, barata e rápida.
  2. Compre a granel: se conseguir comprar arroz, feijão e grãos a granel, aproveite. O produto será o mesmo e você estará evitando embalagens de plástico. Uma dica é reutilizar sacolas de plástico que ficaram guardadas após sua última compra.
  3. Prefira potes de vidro: na hora de comprar um produto no supermercado, prefira aqueles em potes de vidro. Além de fazer bem a natureza, você também estará garantindo um item mais duradouro e seguro para armazenar alimentos e outros produtos.
  4. Utilize seus próprios potes e recipientes: ao levar para casa o que sobrou do jantar no restaurante, ou do almoço na casa de parentes, utilize seus próprios recipientes. Evite ter que comprar mais e mais potes de plásticos sempre que precisar transportar alimentos de um ponto a outro.
  5. Diminua os produtos de limpeza: sabia que dá para realizar grande parte das tarefas rotineiras de limpeza sem precisar comprar garrafas e mais garrafas de plástico de limpa-telha, limpa-banheiro, limpa-vidro, etc.? Muitos dos trabalhos podem ser executados com bicarbonato de sódio e vinagre, basta saber como utilizar e a medida exata para cada situação.

Faça parte do desafio global visitando o site (em inglês):

http://www.plasticfreejuly.org/

Adaptação das reportagens dos sites:

https://shifter.pt/2017/06/julho-sem-plastico/

http://www.pensamentoverde.com.br/dicas/16-maneiras-de-reduzir-o-consumo-de-plastico/

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE 05 DE JUNHO

 

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado todo dia 5 de junho de cada ano desde 1972. A data foi instituída durante a Conferência de Estocolmo, que tratou do tema Ambiente. Foi durante esta conferência que foi aprovada também o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

O objetivo principal da criação desta data é a conscientização da população mundial sobre os temas ambientais, principalmente, a preservação. Desta forma, a ONU procurou ampliar a atuação política e social voltada para os temas ambientais. Era intensão da ONU também, transformar as pessoas em agentes ativos da preservação e valorização do meio ambiente.

Nesta data, ocorrem diversos eventos no mundo todo. Palestras, campanhas educativas, documentários e eventos são realizados, em vários locais, com o propósito de despertar as pessoas para esta importante questão mundial. Em muitos países ocorrem acordos ambientais e definição de políticas voltadas para a proteção do meio ambiente. Esta data é muito importante nas escolas, pois os alunos, em estágio de formação, podem desenvolver uma consciência ambiental que é fundamental para o futuro do planeta.

Esse ano, em 2017, o tema do dia Mundial do Meio Ambiente é #EstouComANatureza e tem por objetivo incentivar nossa conexão com a natureza.

A dica então é se jogar na natureza, andar descalço, sentir o vento, dar um mergulho, observar os pássaros, cada um a sua maneira.

estoucomanatureza-diado meioambiente

Em Ituiutaba a Secretaria de Meio Ambiente preparou uma semana cheia de atividades para que essa conexão seja atingida… blitz educativa, sensibilização quanto a preservação ambiental, distribuição e plantio de mudas, teatro, visitas técnicas na SAE e na Copercicla entre outros cujo encerramento acontecerá no próximo Sábado, dia 10 de junho, num evento na Praça Cônego Ângelo, a partir de 19h.

Aproveite essa semana para se jogar na natureza, para sentir o que há de mais genuíno e do que não podemos viver sem. Curta a natureza como extensão da própria vida e repense seus hábitos, lembrando sempre que “menos é mais” e que todos têm o mesmo direito de um meio ambiente equilibrado.

Separe sempre seus resíduos, destine adequadamente. Cada coisa em seu lugar.

Boas comemorações!

Dia do Meio Ambiente Prefeitura

Fontes:
http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_meio_ambiente.htm
https://www.greenme.com.br/informar-se/ambiente/5462-dia-mundial-do-meio-ambiente-2017

Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero realiza palestra para Secretaria Municipal de Educação de Santa Vitória

Na última quinta-feira, dia 18 de maio, a Plataforma Ituiutaba Lixo Zero realizou uma palestra com perfil de bate papo, para professores, diretores e gestores da Educação pública municipal e estadual de Santa Vitória.

O convite para a realização de uma palestra que trouxesse uma perspectiva prática para a gestão de resíduos sólidos nas escolas municipais e estaduais e creches do município de Santa Vitória partiu da equipe da Secretaria Municipal de Educação capitaneada pela Secretária Municipal Francisca Vânia de Oliveira Silva.

Santa_Vitoria_Luciene assessora pedagógica, Alice, primeira Dama e secretaria de desenvolvimento social Mariza, secretaria de Educação Vania, e prof. Carlene
Luciene assessora pedagógica, Alice da Plataforma Lixo Zero, primeira Dama e Secretária de Desenvolvimento Social Mariza, Secretária de Educação Vânia,  e professora Carlene.

A Plataforma a foi então convidada a apresentar as perspectivas de redução, reutilização, reaproveitamento e reciclagem desses estabelecimentos, além de estratégias de engajamento e mudança de hábitos, para uma plateia de aproximadamente 100 pessoas. Durante uma hora e meia várias dúvidas foram sanadas e muito conhecimento compartilhado. Em tom de bate papo, os participantes fizeram perguntas, observações e apresentaram suas realidades para o grupo, a fim de compartilhar anseios e soluções.

As ações práticas de separação e destinação adequada para a coleta seletiva, propostas por Alice Drummond, diretora executiva da Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, acabaram por contagiar respectivamente as diretoras das escolas, o representante dos catadores de recicláveis do município, ali presente, e o prefeito Salim Curi.  Num acordo firmado ali mesmo, comprometeram-se a incentivar a coleta seletiva nas escolas locais por meio do recebimento de recicláveis por parte dos alunos e funcionários.

Prefeito_santa_Vitoria_Salim_Curi

Santa_Vitoria_SecEducacao_Catador_Prefeito
Secretária de Educação Vânia,  Donizete que coleta e vende reciclável, prefeito Salim Curi no ato do acordo de incentivo da coleta seletiva no âmbito escolar.

A escola receberá um incentivo financeiro para tal e o valor arrecadado será revertido para melhoria das estruturas físicas da escola ou a compra de um material excepcional ou o que os alunos e professores decidirem juntos e previamente. A escola que tiver o melhor desempenho ganhará o transporte para uma viagem de final de ano, oferecido pelo gabinete do prefeito Salim Curi.

Santa_Vitoria_CarleneeAliceDrummon

A coleta seletiva em Santa Vitória iniciou-se há aproximadamente um mês e o município ainda dispõe de lixão. Ele faz parte do consórcio intermunicipal para o desenvolvimento sustentável – CIDES da AMVAP, além disso ele está inserido no Consórcio Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e já recebeu o Plano Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, no qual Santa Vitória figura entre Araporã, Canápolis, Centralina, Gurinhatã, Ituiutaba, Monte Alegre de Minas, Prata.

A gestão de resíduos sólidos em Santa Vitória promete!

Acompanhe o trabalho da Plataforma. Reduza, Recicle, Composte você também!

https://plataformaituiutabalixozero.wordpress.com/

https://www.facebook.com/plataformaituiutabalixozero/

 

Compostagem Doméstica: será mesmo possível?

*Alice Drummond

Você sabia que cerca de 50% dos resíduos gerados em nossas casas é feito de resíduos orgânicos, dentre eles: cascas cruas de frutas, verduras e legumes, cascas de ovos, borra de café e grãos e sementes?

E que são esses os ingredientes perfeitos para a produção de um belo composto orgânico, mais conhecido como adubo, que pode servir de fertilizantes para a horta e plantas em geral?

Pois sim, os benefícios da prática da compostagem são enormes:

  1. Reduz a quantidade de resíduos enviados para aterro sanitário gerando economia aos cofres públicos, que pagam pelo peso coletado e ainda minimizam os impactos negativos sobre o meio ambiente;
  2. Reintroduz matéria rica em fertilizantes para o solo, adubando as plantas.
compostagemReginaMoura
Composto para ser presenteado (Foto1: Regina Moura)

Mas será mesmo possível fazer compostagem doméstica?

A Plataforma Ituiutaba Lixo Zero garante que sim e, nesse sentido, promove oficinas de produção de composteira e de compostagem, e atende grupo de pessoas interessadas em aprender a técnica, que é, por sinal, muito simples.

Para comprovar isso, apresentamos os resultados trazidos pela associada da PILZ – Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, Regina Moura, fisioterapeuta e Ituiutabana, que em dezembro de 2016 solicitou uma oficina de compostagem em sua casa.

Na ocasião passamos por três etapas:

  1. Definição do local: no caso dela o local definido foi um espaço de terra, direto no solo que recebe um pouco de sol e sombra. Em tempos de seca ela vai precisar aguar em alguns dias da semana.
  2. Demonstração da mistura NITROGÊNCIO / CARBONO: Nitrogênio são os resíduos orgânicos: cascas cruas de frutas, verduras, legumes, cascas de ovos, borra de café e grãos e sementes e, o carbono é a Serragem, nem muito grossa, nem muito fina.

A proporção é 1 para 2 – 1 nitrogênio para 2 carbonos.

Para cada porção de nitrogênio, ou seja, de resíduos, duas porções de carbono, ou seja, de serragem devem ser adicionadas.

Os resíduos devem ser misturados com uma porção de serragem e disposta no solo, na sequencia esse montinho deve ser coberto com a segunda porção de serragem para que se evite a proliferação do cheiro, mantendo assim todos os animais indesejados longe da compostagem.

3. E disposição no solo: Simples, limpo, seco e vivo!

Resultados práticos: Sim, é possível fazer compostagem doméstica

Três meses depois recebemos a seguinte mensagem da Regina Moura, associada da PILZ:

“Olha que maravilha: só hoje resolvi colher os frutos…. Estou impressionada! Sumiram TODOS os resíduos que se reverteram em uma “terra” pura, sem cheiro! Achei um pouco grossa, pois assisti a uma palestra e ganhei uma amostra: era mais fina a textura. Mas a minha está linda! ” (Depois soube que ela pode ser peneirada, mas preferi manter dessa forma).

“Estou achando o máximo! Quando vejo a lixeira quase vazia… é perfeito! Resolvi presentear e preparei essas embalagens para motivar familiares e amigos a fazerem o mesmo. Estou orgulhosa: ficou bonitinho e as pessoas que eu presentei amaram, disseram que vão colocar nos vasos e em jardins. ”

E ela ainda fecha sua fala dizendo que: “ Nesta quarta-feira irei à casa de uma amiga mostrar como fazer!!! Vamos multiplicando a ideia…”

compostagemReginaMoura2
O composto finalizado (Foto 2: Regina Moura)
compostagemReginaMoura3
Reduza o “lixo”. Faça compostagem! (Foto 3 – Regina Moura)

Taí, não temos dúvidas de que é possível fazer a compostagem doméstica, diminuir a quantidade de resíduos enviada a aterro sanitário, poupar os cofres públicos, diminuir o impacto nos solos e agua e ainda por cima participar de um movimento de enriquecimento dos solos, reintroduzindo fertilizante natural feito em casa e que pode ser presenteado às pessoas queridas.

E você? Já tentou ou quer começar?

Você já tentou fazer compostagem em casa? Teve resultados positivos ou algum problema? Quer continuar a tentar e aprender de uma vez por todas?

Conte conosco: forme um grupo de 10 a 20 pessoas e entre em contato conosco. lixozeroitba@gmail.com / 34. 99690 1979 e acesse nossas redes: https://plataformaituiutabalixozero.wordpress.com/

Facebook: https://www.facebook.com/plataformaituiutabalixozero/?ref=settings

Basta você começar!

* Alice Drummond – mestre em governança de resíduos sólidos pela Sorbonne Paris 3, consultora em gestão de resíduos sólidos pela Resíduo de Valor e diretora executiva da Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero

Plataforma Ituiutaba Lixo Zero promove oficina de compostagem

LOGOPILZA Plataforma Ituiutaba Lixo Zero realiza em parceria com a UEMG no dia 23/08/2016, das 13h às 17h, na própria UEMG, oficina de compostagem com o instrutor Matheus Eduardo, cujo objeto será a compostagem de folhas secas, podas de árvores e esterco. A oficina será aberta aos estudantes do curso de Agronomia, da referida instituição e interessados em geral. 

Evento: Oficina de compostagem

Data: 23 de agosto de 2016

Horário: 13h às 17h

Local: UEMG – Campus Ituiutaba

 

Mais informações:

Alice Drummond (34) 99690-1979

lixozeroitba@gmail.com