Arquivo da tag: gritorockituiutaba

Plataforma Ituiutaba Lixo Zero no Grito Rock 2016

Festival de rockn’roll autoral recebe a Plataforma Ituiutaba Lixo Zero e dá um show de sustentabilidade e interação.

A Plataforma Ituiutaba Lixo Zero esteve presente no Grito Rock na última sexta-feira, dia 25 de março, em Ituiutaba.

O Grito Rock é um festival de rock autoral que traz bandas de diversos locais do Brasil. Essa edição aconteceu na Chácara do Vovó, um lugar super especial próximo da natureza e teve o prazer de receber as bandas: Treze Provisório, a Era de Ferro e Cafun di Formio.

Ao longo do dia, a Plataforma e o Grito Rock promoveram atividades voltadas para a reflexão de como estamos nos portando em relação ao consumo e descarte e apresentou algumas possibilidades de ação. Essa parceria foi possível através da iniciativa da Resíduo de Valor Consultoria e Projetos.

Grito Rock + PILZ

A história toda começou com uma trilha ecológica seguida de café da manhã colaborativo e a oficina de fotografia com Rogério Costa por volta do fim da manhã.

 

Na parte da tarde, a roda de conversa com o tema “Como viajar barato no Brasil” contou com a experiência, e peripécias, de Guilherme Arueira que relatou suas experiências e aventuras durante nove meses na estrada, de mochilão, conhecendo escolas com pedagogias alternativas.

O papo fluiu e a troca foi certa. Muitas perguntas, muitas sugestões e muito bate papo na certeza da inspiração mútua.

 

Matheus Eduardo apareceu na sequência com sua oficina de compostagem.

Sempre bom ouvir o Matheus falar sobre o processo de decomposição dos resíduos orgânicos e o passo a passo para se fazer uma composteira. Sempre bom ter a oportunidade de considerar o quanto de “lixo” deixa de ir para a coleta municipal e o tanto de húmus que pode ser feito e reaproveitado nos jardins de quem faz a compostagem.

Grata sempre pela oportunidade de ter esse conhecimento tão importante e relevante.

O interesse dos participantes foi encantador. Bem se vê que a prática da compostagem é viável mas depende de capacitação e multiplicação junto à população. Ao final da oficina a composteira foi sorteada.

 

Um pouco mais tarde tivemos a oficina de Tie Dye , com Guilherme Arueria, juntamente com a oficina de customização de roupas, com Isabela Hanna e Larissa Dardania do https://www.facebook.com/outsidetheboxbrecho que é um brechó virtual com peças super legais, que são customizadas por ela e vendidas por ótimos preços.

Essa oficina trouxe um pouco do que todos nós buscamos: dar uma repaginada naquela peça, sem precisar gastar dinheiro comprando roupa nova.

As customizações ficaram muito legais, as peças super transadas e com certeza valor foi agregado.

 

Ainda, e em tempo, Alice Drummond apresentou duas receitinhas mais que básicas de creme dental e desodorante, sem química. Com 6 colheres de sopa de óleo de coco, 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio e 6 gotas de óleo essencial a sua escolha, você tem seu creme dental. Mas você pode encontrar diferentes receitas e eu sugiro o site da Cristal do UM ANO SEM LIXO.

Já o desodorante, basta despejar leite de magnésio em um borrifador e está pronto.

A noite chegou, a chuva caiu, estiou, e, após tanta troca, tanto aprendizado, chegou a hora de curtir os shows de bandas Treze Provisório, a Era de Ferro e Cafun di Formio que apresentaram músicas autorais.

No dia seguinte, para finalizar o evento, a última oficina e talvez a mais gostosa, foi oferecida durante o café da manhã: oficina de Tapioca com a Tati.

A cada ano a parceria entre a Plataforma Ituiutaba Lixo Zero e o Grito Rock se intensifica transformando pessoas, transformando hábitos e intenções.  Fazendo de um espaço de festa e  alegria, um espaço de interação e aprendizado.

Obrigada pelo carinho e interesse galera!

Patrocínio:

11779153_980784351984075_2019641303_o

*Alice Drummond – coordenadora da Plataforma Ituiutaba Lixo Zero e consultora na Resíduo de Valor Consultoria e Projetos.

Anúncios

A Trilha antes da trilha – por Diogo Duarte Parra

20150411_093714

Ativismo Lixo Zero em Ituiutaba: a força do conhecimento aliado à prática e a marca que ele deixa.

Por Diogo Duarte Parra.

A trilha começou antes da trilha. Todos nos encontramos no campus da UFU. De lá partiria a van que nos levaria até a cachoeira da venda amarela. A professora Leda deu a primeira aula do dia, falando sobre as características geográficas da região. E a trilha se desenhava em nossas cabeças antes da trilha.

Primeira parada: ponte do rio Tijuco e ponte velha. Segunda aula da professora Leda, sobre o longo, longo tempo que o mundo precisou para construir as nossas paisagens e os nossos rios. Caminhamos, então, para as margens do rio Tijuco. Pelo caminho, sacos plásticos, garrafas, lixo em geral. Tanto, tanto tempo para a beleza se construir e nós, fácil assim, rápido assim, com nossas latas e plásticos, papéis e sapatos, comprometemos a beleza e a própria existência dessas paisagens.Bastante lixo e em pouco espaço.

10354744_442765555901815_9199676889296974811_n

11127810_442765562568481_6416132989598138614_n

10347483_442765635901807_438280158054194352_n

20150411_092551

Daí veio a aula da Alice. Falou sobre o ativismo lixo zero, sobre acrescentarmos ao nosso prazer com a trilha a preocupação com a garantia da existência da própria trilha. E todos, empunhando sacos pretos, passaram a recolher o lixo que encontravam. Mas essa responsabilidade não é apenas nossa, lembrou a Alice. Hoje, a lei impõe àqueles que colocam produtos no mercado, que gerarão lixo, a obrigação de se preocupar e de criar mecanismos para que esse lixo não termine em trilhas e que tenha a destinação correta. A garrafa de coca-cola vazia é preocupação de quem a toma e também da própria empresa coca-cola.

11113635_442766165901754_1635795359691923109_n

Sacos cheios de lixo, era hora de seguir em frente. De volta à van, pegamos a BR. Na altura da venda amarela, viramos à direta e entramos pelo canavial. Cana e mais cana. A vegetação foi mudando um pouco, se diversificando um pouco e, algum tempo depois, chegávamos na segunda parada. Era hora de caminhar para a cachoeira. Hora de relaxar na água, essa água que por muito, muito tempo, foi comendo pedra e chão e desenhando os cursos que percorre, formando as quedas de água que nos encantam e comovem.

20150411_093720

20150411_093707

20150411_105841

11156255_442769612568076_5135533669076431298_n

Na volta, a segunda aula da Alice. Dia de professoras apaixonadas. A gente percebe quando um professor está apaixonado. Sente no olhar, nos gestos, no timbre da voz. Convidou a turma a falar dos quatro erres: repensar, reduzir, reutilizar e reciclar. Repense: como lidar com o lixo? Reduza: consuma menos e produza menos lixo. Reutilize: dê uma nova utilidade e evite o surgimento do lixo. Recicle: o lixo pode tornar-se outra coisa, novinha em folha.

Descanso. Cada um para sua casa.

O segundo tempo foi à noite, na UFU. Quanto lixo o Grito Rock deixaria pro mundo? Quatro bandas, muita gente. Muito lixo? Pouco lixo? Vamos ver. Depois das bandas, depois da animação, as pessoas iam saindo e o lixo ia sobressaindo. Aqui e ali, latas e garrafas. Puxa, quando prestamos atenção em alguma coisa ela aparece mesmo… Começamos a recolher. Juntamos tudo e depois espalhamos no gramado. O Guilherme achou pouco, disse que esperava mais lixo. Mas nesse momento, o lixo ainda era apenas uma ideia. Por isso, parecia pouco. Quando começamos a separar, plástico aqui, latas ali, vidro acolá, o cansaço surgiu, a realidade apareceu. Quanto trabalho, tanto lixo! O lixo existe, é bem real e é muito. Essa foi a lição da noite. Imaginem o lixo acumulado em tantas noites, por tantas cidades, países. Por tantas vidas!

20150412_014622

20150412_014956

20150412_014643

20150412_014939

IMG-20150412-WA0025

Separe seu lixo, cuide melhor dele. Aplique os quatro erres na sua vida. Passe da simples ideia ao real, percebendo todas as suas consequências, o seu impacto. Lembre-se sempre de que o nosso prazer, o nosso mundo, levou tempo, muito tempo, para se formar, para tornar-se tão belo. E assim, rápido assim, podemos acabar com tudo isso. Gaste um pouco de seu tempo. Reeduque-se. Contribua para a beleza e não apenas usufrua dela.

* Diogo Duarte Parra é de São Paulo e mora em Ituiutaba desde outubro 2014. Apaixonado pela natureza, voluntário e ativista Lixo Zero no 3º Grito Rock Ituiutaba.

Uma iniciativa da Plataforma Ituiutaba Lixo Zero em parceria com:

sertão gritorocklogo Juventude Lixo Zero Brasil