Arquivo da tag: lixo

Retomando a caminhada em 2017: Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero: Associe-se!

ASSOCIE-SE E ESTEJA CONOSCO EM BUSCA DE UMA CIDADE SUSTENTÁVEL

Para se associar PREENCHA A FICHA DE ASSOCIADO PILZ AQUI

LOGOPILZCaminhamos em 2016 na certeza de que estamos nos dirigindo a um destino próspero e, por isso, constituímos associação.

“Constitui-se as associações pela união de pessoas que se organizem para fins não econômicos” (Lei 10.406/2002, art. 53)

Associação é uma organização resultante da reunião legal entre duas ou mais pessoas, com ou sem personalidade jurídica, sem fins lucrativos para a realização de um objetivo comum.

Poderíamos dizer que esse foi o grande marco do ano de 2016: reunimos 14 pessoas interessadas e dispostas a se doarem para levar a frente esse projeto que começou em 2014 com a participação mais que especial do professor, mestre e, praticamente, doutor Humberto Minéu.

O fato de termos constituído associação nos traz inúmeras possibilidades, entre elas:

  1. Profissionalização das ações relacionadas a formação e capacitação para o lixo zero | resíduo zero | desperdício zero;
  2. Realização de convênio com órgãos públicos;
  3. Representação da sociedade em eventos e matérias relativas ao meio ambiente;
  4. Ampla divulgação das ações práticas e realizáveis em relação à mudança de comportamento, entre outras…

Para que isso aconteça e para que consigamos elevar nosso nível de entendimento quanto as possibilidades de redução de resíduos, reaproveitamento, reutilização e reciclagem, nós precisamos de vocês, população de Ituiutaba.

Precisamos do interesse de cada um de vocês, e precisamos do apoio também. Precisamos estar aptos a receber a demanda e devolvê-la com alegria. Precisamos de associados que queiram aprender e ensinar, trocando as experiências e elevando o nível de consciência e atuação.

Estamos aqui, trabalhando por isso, porque vemos a cada dia inúmeras crianças chegando ao mundo. Nos deliciamos com seus rostinhos e descobertas. No entanto, acreditamos que, a cada olhar, devemos nos perguntar: o que eu POSSO fazer para amenizar o sofrimento e aumentar as perspectivas dessas crianças que se tornarão adultos, num mundo que, a cada dia, sofre com maiores restrições de recursos naturais?

A conta já está chegando e, nela, somos nós os responsáveis pela dificuldade alheia, a dificuldade que será daqueles que mais amamos: nossos filhos, sobrinhos, netos e queridos amigos.

Não devemos nos esquecer é claro, do presente, e de todas as possibilidades de melhoras das nossas condições atuais. Pode até dar um trabalhinho, mas que vale muito a pena.

Caso tenha dúvidas ou sugestões por favor entre em contato:

  1.  Facebook: Plataforma Ituiutaba Lixo Zero
  2. Email: lixozeroitba@gmail.com
  3. Telefone: 34. 99690 1979

Forte abraço e até breve,

* Alice Drummond – mestre em governança de resíduos sólidos pela Sorbonne Paris 3, consultora em gestão de resíduos sólidos pela Resíduo de Valor e diretora executiva da Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero

 

 

Anúncios

Lixo: responsabilidade compartilhada

 

Por Ana Carolina Abdulmassih

Logo após o último réveillon, canais de notícias mostraram a condição deplorável da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, repleta de lixo descartado de forma incorreta e irresponsável.

Durante o carnaval, a situação não foi diferente. Toneladas de resíduos jogados pelas ruas e avenidas de todo o país mostraram como ainda agimos de forma irresponsável e perigosa.

A população precisa compreender de que o lixo jogado nas ruas só traz consequências negativas, entope bueiros, causa enchentes e alagamentos, atinge o lençol freático, contamina a água do subsolo, degrada o ambiente, danifica o patrimônio público e ainda favorece a proliferação de animais causadores de doenças, como o mosquito Aedes Aegypti, prejudicando a saúde de toda a população.

Aliado a isso os governos locais, ou seja, as prefeituras municipais não reconhecem suas responsabilidades. Quem por aí viu lixeiras suficientes espalhadas durante o carnaval? De quem é a obrigação de colocá-las?

Independentemente de qualquer circunstância, essa postura é inaceitável.

Para começar a conversa, a prefeitura deve disponibilizar as formas adequadas para o descarte e então a população deve utilizar dessas alternativas. Certamente, se tivessem mais lixeiras espalhadas nos locais de festas públicas e particulares, o “lixo” espalhado pelo chão seria bem menor, facilitando o trabalho da coleta de “lixo”, gerando valor através da reciclagem.

02.15.imagem

Precisamos entender que o lixo não é um problema da população e nem somente da prefeitura municipal…o “lixo” é um problema que pode virar solução. Mas, para isso, deve ser encarado como de responsabilidade de todos, ou seja, responsabilidade compartilhada. Nesse contexto, cada um faz a sua parte e todos fazem algo.

Transformar o modelo de economia vigente, que envolve extrair, usar e descartar, é possível através do ciclo de reciclagem e compostagem, como sempre falamos por aqui.

A mudança de consciência deve acontecer em todas as situações, principalmente à partir do consumo, pois é importante que haja cuidado com os resíduos, sobretudo para a preservação da natureza. Até porque, ambiente limpo implica em pessoas saudáveis e felizes.

*Ana Carolina Abdulmassih – natural de Ituiutaba, estudou Direito na Universidade do Estado de Minas Gerais, filósofa por natureza, apaixonada pela vida e pelas relações sociais inerentes a ela, sempre em busca do saber, crescer e compartilhar, em prol de um mundo mais harmônico e sustentável.

 

Reciclagem com caixa de ovo

Reciclagem-com-caixa-de-ovo-Final-2

Escrito por Thiago Lima.

No video Reciclagem com caixa de ovo, Paty Pegorin do site Garota Criatividade ensina como fazer flores a partir de uma caixas de ovo e palitos. Melhor que reciclar, nesse caso, é fazer um item de decoração a partir do que seria lixo. Com criatividade podemos transformar objetos que antes seriam inutilizáveis em objetos que podem fazer parte de nossa rotina.

Acima uma foto tirada do site garotacriativa.com que mostra o resultado final dessa, que é agora uma peça de decoração.

Confira o video onde ela ensina como fazer as flores com caixas de ovo.

Para mais detalhes acesse o site de Paty, garotacriativa.com e encontre todos os detalhes de como fazer as flores.

O lixo e o carnaval

Por: Alice Drummond* e Ivana Fontenelle de la Fuente*

alx_carnaval-lixo-blocos-de-rua-20150209-001_original

 “Mas é carnaval, não me diga mais quem é você, Amanhã tudo volta ao normal, deixa a festa acabar, deixa o barco correr….” (Noite dos Mascarados, Chico Buarque)

Sim, é Carnaval, mas infelizmente amanhã nem tudo volta ao normal. Durante os períodos festivos, o aumento na geração de lixo é visível. Estamos no Brasil, comemorando o Carnaval, festa bonita e colorida, mas que sempre termina feia, suja, imunda, com as ruas lotadas de lixo, latas de bebidas, pedaços de fantasias, fora a alimentação “prática” que nos leva aos enlatados e no fim da festa o que sobra são nossos dejetos, lotando as ruas, boeiros e aterros sanitários.

 O que acontece? Por que aumentamos consideravelmente o nosso lixo? Existe um pensamento crítico diante dos fatos? É falta de organização ou de responsabilidade? Seria uma falta de organização gerando a irresponsabilidade? Falta informação? O que é necessário para que possamos pensar em cuidar, não do outro, mas de nós mesmos? Como lhe dar com o “lixo” do outro?  “O que eu tenho a ver com esse lixo?” Sim, o lixo é do outro, mas você já parou para pensar no seu lixo? Você se lembra que o seu lixo também é o lixo do outro?

 No Rio, o Profeta Gentileza escreveu  “Gentileza gera Gentileza” . Assim podemos dizer o mesmo para responsabilidade, comprometimento e asseio, desenvolvimento e qualidade de vida.

 Responsabilidade:

A meta ‘lixo zero” considera o menor índice de lixo (resíduo) no aterro sanitário. O que significa que a responsabilidade é de todos, pois para isso precisamos imediatamente reduzir a produção do nosso lixo. Perguntinhas como: devo mesmo comprar isso? Não há uma embalagem menor? Já nos fazem refletir. Mas sabemos que apenas reduzir o consumo e produção de lixo não é suficiente, temos como responsabilidade identificar seu lixo como resíduo  e destiná-lo adequadamente, ou seja, é dever de todos procurar o melhor fim passando obrigatoriamente pelo reuso ou reciclagem e evitando o aterro sanitário.

Os gestores públicos, empresários e  instituições têm uma grande responsabilidade e devem identificar na educação ambiental uma obrigatoriedade em seus planos de ação para a gestão dos seus resíduos: prevenção, redução, reuso, reciclagem e compostagem com a matéria orgânica devem ser modelos de gestão.

 Comprometimento

Os participantes de um plano de boa gestão dos resíduos sólidos precisam estar comprometidos com a causa e para que isso aconteça é preciso que haja a discussão do tema junto aos públicos. As chamadas públicas, workshops/oficinas, eventos públicos entre outras atividades são boas oportunidades para isso. A população, comprometida, num contexto de boa governança, terá maiores chances de fazer boas escolhas ajudando os governantes a fazerem uma boa gestão. Esse contexto é o que a Plataforma Ituiutaba Lixo Zero almeja para Ituiutaba e na gestão de resíduos como um todo.

Mas como participar? Como ser uma pessoa lixo zero? É simples, mudando alguns habitos.

Acesse o blog da plataforma e venha trocar informação com a gente: http://www.plataformaituiutabalixozero.wordpress.com  OU entre em contato: lixozeroitba@gmail.com

 *Alice Drummond é consultora em desenvolvimento sustentável especialista em resíduos sólidos pela UnB e mestre pela Sorbonne Nouvelle Paris 3.

* Ivana Fontenelle de La Fuente é relações públicas e  gerente de projetos. Tem uma veia sustentével pulsante e alimenta minhocas com seu lixo orgânico